SEMIÓTICA NA DOCUMENTAÇÃO ESPANHOLA: CONSIDERAÇÕES SOBRE A DÉCADA DE 1980

Ilana Lopes Matias, Carlos Cândido de Almeida

Resumo


A organização do conhecimento é um processo de construção de modelos de representação do conhecimento que converte o mundo das ideias – seu objeto de estudo – em um aglomerado de conceitos que devem ser analisados para verificar suas relações num dado domínio do conhecimento. A codificação simbólica responsável por representar a informação produzida, encontra-se em todos os processos comunicacionais e a linguagem, sua matéria-prima, necessita de uma convenção social para se estruturar. Examina a literatura especializada da Documentação na Espanha para obter um panorama dos conceitos semiótico-linguísticos na década de 1980, período de formação teórica da Linguística Documental (LD) e da Semiótica Documental. Representa uma oportunidade de expor o âmbito de construção epistemológica de um novo campo disciplinar na década de 1980 no contexto espanhol. Utiliza o método qualitativo e a pesquisa bibliográfica nas bases de dados Dialnet e Brapci para identificar referenciais teóricos já publicados a respeito do tema. Recuperou na Dialnet 43 revistas e 149 documentos, sendo 52 selecionados pelos conceitos documentação, semiótica, linguagens documentais, linguística documental, semiótica documental e outros relacionados com o tema. Na Brapci localizou 11 documentos de autores brasileiros que abordaram o assunto da LD. García Gutiérrez (1984) definiu a LD como uma “interdisciplina de linguagens documentais” produzida através da fusão de dois campos científicos – a documentação e a linguística). Porém, Izquierdo Arroyo (1990) propõe a substituição do termo LD para Semiótica Documental, pois a Semiótica se ocupa de qualquer processo de semiose, o que torna presença desse termo na expressão pertinente.

Palavras-chave


Documentação Espanhola. Linguística Documental. Semiótica Documental.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.