PRÁTICAS INFORMACIONAIS E VELHICE: análise do fluxo informacional dentro de asilo na cidade de Cuité e sua contribuição para inclusão da pessoa idosa.

Jesiel Ferreira Gomes, Kilvya Simone de Leão Braga

Resumo


Voltar o olhar científico para um estrato social, e nele fazer pesquisas e inserções que visam o seu entendimento é um pilar de fundamental importância para as ciências sociais. Mais importante ainda quando este estrato é constituído de pessoas alijadas do convívio social, separadas e isoladas dos demais, como é o caso dos idosos asilados como um todo. O trabalho ora apresentado se apresenta com o intuito de responder se o fluxo informacional, oriundo das práticas informacionais, pode contribuir para a inserção dos idosos asilados, na cidade de Cuité – PB, na sociedade e contribuir para a sua plena cidadania. Para o intento utilizou-se como metodologia a pesquisa descritiva, já que não foi nosso propósito elucidar as questões circundantes do asilar, mas sim, servir de base para estudos e ações futuras que possam vir a ser desenvolvidas. Com os dados obtidos, é fato relevante perceber que não há condições, para a maioria dos idosos asilados, participar de forma plena do fluxo informacional do asilo, em virtude de fatores como: necessidades especiais, cultura em que está inserido, modo de vida limitado pelas condições estruturais em que viveu, falta de recursos econômicos e desinteresse pela vida, propriamente dito. Todavia, o estudo foi revelador, em permitir que outros possam, a partir deste ponto, seguir trilhas para constituição de conhecimento que possam solucionar as evidentes falhas que nós, enquanto membros da sociedade da informação, deixamos ao não voltar nossos olhares também para estes sujeitos, pois seu isolamento físico (asilo) não significa propriamente intelectual.

Palavras-chave


Idosos asilados - ciência da informação. Fluxo informacional - idoso - asilo. Pessoa idosa asilada - fluxo de informação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.