Mentes Despertas: um estudo de caso no Instituto Psiquiátrico Forense

Thayse de Paula Gomes, Helena Da Silva Anselmo, Vitória de Abreu Estrazulas

Resumo


O projeto Mentes Despertas foi pensado como uma forma de incluir socialmente, a partir de atividades educativas, os internos do Instituto Psiquiátrico Forense (IPF), um manicômio judiciário situado em Porto Alegre - RS. Com isso, foi analisada a possibilidade da criação de um clube de leitura, a organização de uma biblioteca e também, uma atividade de reprodução audiovisual ministrado pelas pesquisadoras com a supervisão de dois bibliotecários, sendo um professor da graduação de Biblioteconomia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e o outro, o bibliotecário-chefe do Instituto de Psicologia da UFRGS. A partir de um primeiro contato com uma das psicólogas do IPF, foi apresentado o espaço e os internos foram convidados para participar das atividades. A intenção foi observar os efeitos da leitura e da informação sob os fenômenos emocionais e mentais, a fim de trazer melhorias no cotidiano dessas pessoas que vivem confinadas e duplamente sentenciadas.

Palavras-chave


Leitura; Biblioteca; Manicômio Judiciário; Inclusão Social; Reprodução Audiovisual.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.