A Biblioteca e a comunidade

Sueli Marcondes Motta

Resumo


O papel da biblioteca contemporânea aponta a necessidade de sair para ações extramuros e criar vínculos com a comunidade. Mas afinal, como fazer isso? Desde a abertura da Biblioteca de São Paulo, crianças, adolescentes da comunidade próxima Zaki Narchi (Cingapura) passaram a frequentar a Biblioteca.
No início parte da comunidade não reconhecia a Biblioteca como “seu espaço de ocupação”. Posteriormente com diálogo, acolhimento e atividades lúdicas e de leitura o relacionamento se transformou, tornando-se amistoso. Porém, em um determinado momento, percebe-se o esvaziamento desse público na biblioteca. Decidimos desenvolver um projeto piloto de aproximação. O objetivo era realizar visitas periódicas a comunidade com espaço de atividades culturais e de leitura, escuta e troca de saberes, pois realizar ações isoladamente não propiciaria a construção de vínculos. Criamos uma abordagem de comunicação para estruturar um cronograma de visitas periódicas para nos fazer presentes no território.
Definimos como público alvo, a princípio crianças, mas com vistas em jovens e adultos. A ação acontece semanalmente desde 2017 e até maio de 2019, foram realizados 75 encontros com 1.062 participantes. Já nos fazemos presentes naquele espaço. É gratificante perceber que as crianças nos reconhecem e que os adultos se aproximam. Somos aguardados para contar histórias, ler com e para o público e saber do cotidiano de cada um, construindo um momento único de escuta e troca.

Palavras-chave


Apoderamento, Ações culturais e socioeducativas, Comunidade e Biblioteca Pública

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.